« Home | Autobiografia e algumas apostas confirmadas » | Mick Jagger, o conservador » | Fogo no mundo » | Mais sobre o mesmo e saudades do aipim » | Camaradas unidos jamais serão vencidos? » | Rumo à fazenda » | Ainda e sempre Jane Austen » | A revelação do Globo de Ouro » | A epidemia do estupro étnico » | Educação para a paz: doutrinação para a estupidez »

Ser Moribundo e outras histórias


Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, publico poema de autoria do meu amigo Eduardo Levy, de volta ao mundo virtual e aos inspirados textos após um breve recesso, sobre o “progresso” da condição feminina com o passar dos tempos. Serve como contraponto à socióloga da UFRGS especialista em “espaço e importância das mulheres no mundo” (quá) que afirmou que as mulheres são minoria desrespeitada, como os gays e negros, vítimas de uma sociedade patriarcal, e patati patatá.

Ser Moribundo

Feita mulher.
Largou o ser menina.
Perdeu aquela perna fina.
Perna fina que me desatina.
Me desatina a perna fina da menina.
Perna fina da menina que me desatina.

Aquele olhar ingênuo
Em misturas diabólicas
Apartou o que tinha de veneno
Foram-se as sensações eólicas.

Crescida – mudada toda.
Roubada do barangandã.
Falta daquele não sei quê
Mergulhada que anda em barafunda.

Foi princesa – é cachorra.
Mereceu poesias – contêmpora patifarias.

Era toda pintada por Rafael, perfeita, por natura.
Agora, tristeza do triste, é de plástico, homem a espessura.

Juntaram-se opostos os partidos
Tudo numa conspiração.
Roubaram-lhe a natureza, a mim o coração.

agora Camões não teria tema
Tampouco
Nabokov qualquer pequena.
Falta-lhe um réquiem
Vive ainda como um Frankstein.

*************************************

A polêmica da semana no RS está a cargo dos inúmeros episódios envolvendo os revoltadinhos do MST, o maior grupo de crime organizado da AL, em seu “março vermelho”. Com o apoio de ilustres venezuelanos, cubanos e toda a sorte de propagadores do caos revolucionário, destruíram uma fazenda, como de praxe, alegando que a atitude era simbólica, alheia à questão se a propriedade era produtiva ou não; rasgaram em frente às autoridades o mandato judiciário de retirada; destruíram mais de 5 milhões de mudas e um laboratório inteiro em outra propriedade, alegando que madeira não produz comida.

A polícia, desmoralizada e sem recursos, cogita invadir e tirá-los à força, para logo em seguida recuar e alegar que os “camponeses”, cujo conhecimento em guerrilha ultrapassa e muito o sobre terra e plantações, estão ferozmente dispostos a tudo, armados até os dentes com pás, escudos de metal, foices, martelos... Sem contar a tática de colocar mulheres e crianças na frente do pelotão, para “sensibilizar” a opinião pública, em caso de derramamento de sangue. Obviamente, as autoridades omitem o fato de estarem é tremendo de medo. De tudo.

noite_interminavel
Nós nos transformamos naquilo que praticamos com freqüência. A perfeição, portanto, não é um ato isolado, é um hábito. (Aristóteles)


Na medida em que você se desliga do espírito daquela era, está ligado ao espírito de todas as eras. Isto quer dizer que, de fato, na constituição do próprio indivíduo, já está dada toda a dialética entre o mundo do sensível ou da temporalidade e o mundo da eternidade. (Olavo de Carvalho)


Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo. (Hermann Hesse)


Quanto menos um sujeito entende a religião, mais se prontifica a modificá-la, isto é, a reduzi-la às dimensões da sua própria falta de consciência. Uma concepção evolutiva da religião mostra apenas incapacidade de conceber alguma coisa acima da esfera temporal. O "senso da eternidade" é apenas o primeiro grau da consciência religiosa. (Olavo de Carvalho)


Quando os homens já não acreditam em Deus, não é que não acreditem em mais nada: acreditam em tudo. (G. K. Chesterton)


Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada. (Edmund Burke)


Experiência não é o que acontece com o homem; é o que o homem faz com o que lhe acontece. (Aldous Huxley)


Pode-se enganar todo mundo durante algum tempo, e certas pessoas durante todo o tempo, mas não se pode enganar todo o mundo todo o tempo. (Abraham Lincoln)


Faça aparecer o que sem você não seria talvez jamais visto. (Robert Bresson)


Educação é o que resta depois de ter esquecido tudo que se aprendeu na escola. (Albert Einstein)


Todos estamos na sarjeta, mas alguns de nós estão olhando as estrelas. (Oscar Wilde)


Qualquer pessoa que não seja inteiramente imbecil ou imbecilizada pelo jogo literário de entes de razão sabe que existe, no mundo inteiro, uma guerra revolucionária com o objetivo de massificar o homem e de apagar nas almas os últimos lampejos das saudades de Deus. Os marxistas desempenham papel de desta­que, e os judeus marxistas ou filocomunistas trazem para esta causa todo o furor que lhes vem da antiga grandeza. (Gustavo Corção)