« Home | Fogo no mundo » | Mais sobre o mesmo e saudades do aipim » | Camaradas unidos jamais serão vencidos? » | Rumo à fazenda » | Ainda e sempre Jane Austen » | A revelação do Globo de Ouro » | A epidemia do estupro étnico » | Educação para a paz: doutrinação para a estupidez » | O clichê do sorveteiro » | Intelectual de esquerda »

Mick Jagger, o conservador


Rolling Stones é bem melhor do que U2. O show do U2 foi bem melhor do que o dos Stones. Também, pudera: não há como esperar muito de um evento grátis, em comparação com outro cujo ingresso menos caro custava R$ 200.

A platéia dos irlandeses estava comovida, extasiada, aproveitando (ou acreditando estar) cada centavo investido. 48 horas antes, quanto mais Sir Jagger se contorcia gratuitamente, menos a platéia o acompanhava. Eu, há quilômetros e mais quilômetros de distância, estava mais motivada do que os lá presentes. Antes de começar. E olha que o melhor show que esse país já assistiu foi em um longínquo 1995, dos mesmos ingleses. E eu só tinha 10 anos. Aqui, não há acusação alguma de memória curta aos tupiniquins, uma vez que show business deve ser isso mesmo, efêmero, porque refletir cansa, dá trabalho. Em qualquer situação e sobre qualquer assunto. Por isso, para que despender energia discutindo picuinhas pop, salvo em mesas de bar?

Enfim, após hiato de 8 anos, temos em nosso solo Bono Vox, o multimilionário que adora pregar. Não pregos, nada que possa calejar as mãos, mas a pregação errada em cada situação. No show da mesma turnê no Canadá, ele criticou as guerras, enfatizando – precisa dizer? – a situação no Iraque. Deixou foi o público pregado de tédio com tamanha ladainha em um país politicamente correto e neutríssimo. Afinal, era mais do mesmo. Quando pregou a paz entre cristãos, muçulmanos e judeus aos brasileiros, foi ovacionado sem ovos pela platéia majoritariamente universitária, pois seu profeta pregara a paz, o bem supremo. Apesar da diferente reação, outra vez mais do mesmo, já que falar em tolerância religiosa no Brasil é facil. Acontece que terrorista muçulmano algum irá atrás das palavras de um roqueiro e deixará de explodir gente e de sabotar o ocidente. E com a ajuda do mesmo ocidente, tanto que Bin Laden novamente deu o ar da graça, para testar seu ibope em terras a oeste e dizer que os EUA são tão criminosos quanto Saddam foi no Iraque (quando descobrirem iraquianos com olhos vazados, câmaras de estupro e interrogatórios com base em choques elétricos em bebês em frente aos pais por obra de americanos, serei obrigada a concordar com Osama) e enchendo a boca para afirmar que a América jamais o pegará vivo. Seria o prenúncio da possibilidade dele tornar-se homem-bomba? Acho brabo, seus discípulos têm prioridade.

Já o provecto Jagger não fala sobre a paz mundial, sequer participa de boca livre com moluscos e posa de garoto(sic)-propaganda para o Fome Zero. Aliás, paga aos vários filhos os melhores colégios do mundo. Conservadores, invariavelmente. Decerto para seus filhos não serem educados de que o mal do universo é a fome e a solução é a paz, como Bono educa os filhos dos outros. Mick é um conservador, surpreendentemente. Seria esse o segredo da superioridade dos Stones? Pense nisso no próximo pub.

noite_interminavel
Nós nos transformamos naquilo que praticamos com freqüência. A perfeição, portanto, não é um ato isolado, é um hábito. (Aristóteles)


Na medida em que você se desliga do espírito daquela era, está ligado ao espírito de todas as eras. Isto quer dizer que, de fato, na constituição do próprio indivíduo, já está dada toda a dialética entre o mundo do sensível ou da temporalidade e o mundo da eternidade. (Olavo de Carvalho)


Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo. (Hermann Hesse)


Quanto menos um sujeito entende a religião, mais se prontifica a modificá-la, isto é, a reduzi-la às dimensões da sua própria falta de consciência. Uma concepção evolutiva da religião mostra apenas incapacidade de conceber alguma coisa acima da esfera temporal. O "senso da eternidade" é apenas o primeiro grau da consciência religiosa. (Olavo de Carvalho)


Quando os homens já não acreditam em Deus, não é que não acreditem em mais nada: acreditam em tudo. (G. K. Chesterton)


Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada. (Edmund Burke)


Experiência não é o que acontece com o homem; é o que o homem faz com o que lhe acontece. (Aldous Huxley)


Pode-se enganar todo mundo durante algum tempo, e certas pessoas durante todo o tempo, mas não se pode enganar todo o mundo todo o tempo. (Abraham Lincoln)


Faça aparecer o que sem você não seria talvez jamais visto. (Robert Bresson)


Educação é o que resta depois de ter esquecido tudo que se aprendeu na escola. (Albert Einstein)


Todos estamos na sarjeta, mas alguns de nós estão olhando as estrelas. (Oscar Wilde)


Qualquer pessoa que não seja inteiramente imbecil ou imbecilizada pelo jogo literário de entes de razão sabe que existe, no mundo inteiro, uma guerra revolucionária com o objetivo de massificar o homem e de apagar nas almas os últimos lampejos das saudades de Deus. Os marxistas desempenham papel de desta­que, e os judeus marxistas ou filocomunistas trazem para esta causa todo o furor que lhes vem da antiga grandeza. (Gustavo Corção)