« Home | Camaradas unidos jamais serão vencidos? » | Rumo à fazenda » | Ainda e sempre Jane Austen » | A revelação do Globo de Ouro » | A epidemia do estupro étnico » | Educação para a paz: doutrinação para a estupidez » | O clichê do sorveteiro » | Intelectual de esquerda » | O tempo voa, mas não passa » | Presente de Natal atrasado »

Mais sobre o mesmo e saudades do aipim

Em posts recentes, abordei a questão da manipulação feita por produções ditas culturais e como esse processo estrutura-se. Personalidades predispostas podem sofrer efeitos graves com mensagens tratadas como plurais e nobres pelos meios de comunicação, do choque em entrar em contato com informação considerada indispensável, sem ter condições de julgar seus fundamentos. É fato, por exemplo, a taxa de suicídios ter aumentado entre os contemporâneos de Goethe, em todos os países em que a obra sobre o jovem Werther circulou, comprovando os efeitos que modas e produções culturais possuem sobre gostos e comportamentos.

Por outro lado, não se deve considerar que todos podem ser robotizados por essas obras. É então onde entra o tão ignorado indivíduo, sufocado por alguns iluminados que acreditam saber escolher por milhões, sufocando, mas não destruindo a fagulha que nos pode elevar, nosso livre-arbítrio, nossa liberdade de consciência.

Comi uns bicho estranho, com um tal de gergelim

Até que tava gostoso, mas eu prefiro aipim.

(Mamonas Assassinas)

O brasileiro responsável pelas relações diplomáticas tupiniquins com a Cingapura enviou, em seu relatório de final de ano, memorando com os seguintes dizeres: “As carnes ditas brasileiras, por aqui, são fatiadas com bem menos perícia do que no Brasil; além disso, carecem de farofa e aipim frito”. Trocando em miúdos, o embaixador fatura US$ 8000 mensais e, na hora de manifestar-se e de propor algo, queixa-se da ausência de aipim?

Detalhe: as despesas mensais com essa embaixada são maiores do que o retorno em negociações. Mísero detalhe.

(Fonte: IstoÉ Dinheiro)

noite_interminavel
Nós nos transformamos naquilo que praticamos com freqüência. A perfeição, portanto, não é um ato isolado, é um hábito. (Aristóteles)


Na medida em que você se desliga do espírito daquela era, está ligado ao espírito de todas as eras. Isto quer dizer que, de fato, na constituição do próprio indivíduo, já está dada toda a dialética entre o mundo do sensível ou da temporalidade e o mundo da eternidade. (Olavo de Carvalho)


Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo. (Hermann Hesse)


Quanto menos um sujeito entende a religião, mais se prontifica a modificá-la, isto é, a reduzi-la às dimensões da sua própria falta de consciência. Uma concepção evolutiva da religião mostra apenas incapacidade de conceber alguma coisa acima da esfera temporal. O "senso da eternidade" é apenas o primeiro grau da consciência religiosa. (Olavo de Carvalho)


Quando os homens já não acreditam em Deus, não é que não acreditem em mais nada: acreditam em tudo. (G. K. Chesterton)


Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada. (Edmund Burke)


Experiência não é o que acontece com o homem; é o que o homem faz com o que lhe acontece. (Aldous Huxley)


Pode-se enganar todo mundo durante algum tempo, e certas pessoas durante todo o tempo, mas não se pode enganar todo o mundo todo o tempo. (Abraham Lincoln)


Faça aparecer o que sem você não seria talvez jamais visto. (Robert Bresson)


Educação é o que resta depois de ter esquecido tudo que se aprendeu na escola. (Albert Einstein)


Todos estamos na sarjeta, mas alguns de nós estão olhando as estrelas. (Oscar Wilde)


Qualquer pessoa que não seja inteiramente imbecil ou imbecilizada pelo jogo literário de entes de razão sabe que existe, no mundo inteiro, uma guerra revolucionária com o objetivo de massificar o homem e de apagar nas almas os últimos lampejos das saudades de Deus. Os marxistas desempenham papel de desta­que, e os judeus marxistas ou filocomunistas trazem para esta causa todo o furor que lhes vem da antiga grandeza. (Gustavo Corção)