« Home | Status ontológico da mentira » | Ano Novo? » | Feliz Ano Novo » | Fatos do ano » | Espírito Natalino » | Mensagens de Natal » | Evolução e evolucionismo » | Carpeaux » | Uma despedida » | Adeus a Julián Marías »

Um dia qualquer


Ontem. Uma terça-feira comum, sem acontecimentos notáveis, certo? Certíssimo. E essa impressão é reforçada pelos episódios a seguir, nenhum deles vindo a alterar qualquer percepção da realidade. De quem a conhece verdadeiramente, é claro. Ok, você pergunta: se não são episódios dignos de nota, por que estão aqui? Respondo que serão expostos para ilustrar o quanto de anormalidade dias normais têm.

Vejamos: Eduardo Suplicy, que tem clara dificuldade em completar raciocínios, revela ao jornalista Lasier Martins que talvez Lula não concorra à reeleição e abra caminho para bois de piranha do porte de Palocci, Vilma, Tarso, Olívio Dutra (alguém sabe, alguém viu?) e a ele próprio, ex ex - excelentíssimo ex - marido de Martaxa. Ai, será que o Molusco não nos dará o gostinho sem igual de vê-lo derrotado na corrida presidencial pela quarta vez? O melhor da declaração suplícia foi que Lula pode ser poupado esse ano para voltar a concorrer em 2010, com mais “experiência e maturidade”, ou seja, do alto de 65 anos muito bem vividos, principalmente após a plena execução do projeto pessoal Fome Zero. E põe Fome Zero mesmo. Minha sugestão é que Lula, tão receoso em perder a eleição, candidate-se a rei Momo. Afinal, o carnaval está quase aí, o país, que já pára na ocasião, ainda ficaria lisonjeado em ver um presidente atuante e sua barriga cultivada nem um pouco artificialmente, além de tratar-se de uma disputa inédita para ele. Por que não? Duda Mendonça, abre teu olho com a marketeira aqui!

Outro fato muito desinteressante do dia de ontem foram as declarações dadas por Mario Vargas Llosa em relação à política da AL, como que o avanço da esquerda no continente não incorrerá em retrocessos até regimes antidemocráticos, e sim concede espaço a novas correntes que respeitam as liberdades e o jogo democrático, além de ver o quadro da região cada vez mais canhota com muito “otimismo”. Bom, eu só digo que ele peca muito como intelectual “de direita” por fechar os olhos ao fato de esquerdistas não respeitarem coisa alguma, nem aqui, nem na China (literalmente).

É, nada além de um dia qualquer e suas trivialidades.

noite_interminavel
Nós nos transformamos naquilo que praticamos com freqüência. A perfeição, portanto, não é um ato isolado, é um hábito. (Aristóteles)


Na medida em que você se desliga do espírito daquela era, está ligado ao espírito de todas as eras. Isto quer dizer que, de fato, na constituição do próprio indivíduo, já está dada toda a dialética entre o mundo do sensível ou da temporalidade e o mundo da eternidade. (Olavo de Carvalho)


Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo. (Hermann Hesse)


Quanto menos um sujeito entende a religião, mais se prontifica a modificá-la, isto é, a reduzi-la às dimensões da sua própria falta de consciência. Uma concepção evolutiva da religião mostra apenas incapacidade de conceber alguma coisa acima da esfera temporal. O "senso da eternidade" é apenas o primeiro grau da consciência religiosa. (Olavo de Carvalho)


Quando os homens já não acreditam em Deus, não é que não acreditem em mais nada: acreditam em tudo. (G. K. Chesterton)


Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada. (Edmund Burke)


Experiência não é o que acontece com o homem; é o que o homem faz com o que lhe acontece. (Aldous Huxley)


Pode-se enganar todo mundo durante algum tempo, e certas pessoas durante todo o tempo, mas não se pode enganar todo o mundo todo o tempo. (Abraham Lincoln)


Faça aparecer o que sem você não seria talvez jamais visto. (Robert Bresson)


Educação é o que resta depois de ter esquecido tudo que se aprendeu na escola. (Albert Einstein)


Todos estamos na sarjeta, mas alguns de nós estão olhando as estrelas. (Oscar Wilde)


Qualquer pessoa que não seja inteiramente imbecil ou imbecilizada pelo jogo literário de entes de razão sabe que existe, no mundo inteiro, uma guerra revolucionária com o objetivo de massificar o homem e de apagar nas almas os últimos lampejos das saudades de Deus. Os marxistas desempenham papel de desta­que, e os judeus marxistas ou filocomunistas trazem para esta causa todo o furor que lhes vem da antiga grandeza. (Gustavo Corção)