« Home | Mensagens de Natal » | Evolução e evolucionismo » | Carpeaux » | Uma despedida » | Adeus a Julián Marías » | Durou pouco » | Pausa e planos » | A TODOS OS QUE COMPREENDEM O VALOR DA VIDA HUMANA ... » | Projetos TAMAR e MATAR » | Com a palavra, o Papa »

Espírito Natalino

Passadas as celebrações de mais um aniversário de Cristo, hora de voltar à ativa e, também, de abrir exceções. Espírito Natalino.

Há semanas não assistia ao Manhattan Connection por ter atirado a toalha ao ver certos momentos, como quando Lúcia Guimarães vilanizou o Wal Mart após louvar o lançamento de um documentário à moda Michael Moore que denunciava a eterna exploração capitalista de uma empresa a seus funcionários, e o programa em que Caio Blinder transformou o vazamento da identidade de uma agente da CIA a uma crise maior do que o tsunami de lama peStista, incluindo assassinatos, que nos aflige. Abri exceção ontem e fui beneficiada com ótimas intervenções do Reinaldo Azevedo, da Primeira Leitura, durante todo o programa, salvo quando ele se referiu às únicas forças de resistência desde sempre aos neostalinistas tupiniquins como sendo Diogo Mainardi e ele próprio. Você deve estar se perguntando agora: e Olavo de Carvalho, que entregou tudinho de bandeja a quem fosse capaz - e quisesse – ler, com anos e mais anos de antecedência? Pois é, nenhuma menção.

Apesar do lapso de memória, vale espiar o Manhattan Connection de ontem em alguma reprise, já que não é sempre que podemos ver alguém cobrar uma postura mais conservadora de Bento XVI e afirmar haver, no Brasil, dois refúgios preferenciais para esquerdistas: a Igreja e o jornalismo.

noite_interminavel
Nós nos transformamos naquilo que praticamos com freqüência. A perfeição, portanto, não é um ato isolado, é um hábito. (Aristóteles)


Na medida em que você se desliga do espírito daquela era, está ligado ao espírito de todas as eras. Isto quer dizer que, de fato, na constituição do próprio indivíduo, já está dada toda a dialética entre o mundo do sensível ou da temporalidade e o mundo da eternidade. (Olavo de Carvalho)


Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo. (Hermann Hesse)


Quanto menos um sujeito entende a religião, mais se prontifica a modificá-la, isto é, a reduzi-la às dimensões da sua própria falta de consciência. Uma concepção evolutiva da religião mostra apenas incapacidade de conceber alguma coisa acima da esfera temporal. O "senso da eternidade" é apenas o primeiro grau da consciência religiosa. (Olavo de Carvalho)


Quando os homens já não acreditam em Deus, não é que não acreditem em mais nada: acreditam em tudo. (G. K. Chesterton)


Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada. (Edmund Burke)


Experiência não é o que acontece com o homem; é o que o homem faz com o que lhe acontece. (Aldous Huxley)


Pode-se enganar todo mundo durante algum tempo, e certas pessoas durante todo o tempo, mas não se pode enganar todo o mundo todo o tempo. (Abraham Lincoln)


Faça aparecer o que sem você não seria talvez jamais visto. (Robert Bresson)


Educação é o que resta depois de ter esquecido tudo que se aprendeu na escola. (Albert Einstein)


Todos estamos na sarjeta, mas alguns de nós estão olhando as estrelas. (Oscar Wilde)


Qualquer pessoa que não seja inteiramente imbecil ou imbecilizada pelo jogo literário de entes de razão sabe que existe, no mundo inteiro, uma guerra revolucionária com o objetivo de massificar o homem e de apagar nas almas os últimos lampejos das saudades de Deus. Os marxistas desempenham papel de desta­que, e os judeus marxistas ou filocomunistas trazem para esta causa todo o furor que lhes vem da antiga grandeza. (Gustavo Corção)