« Home | Mais sobre o futuro de Dirceu (e do país) » | Momento "antes tarde do que nunca" » | A nova secretária de segurança e algumas bengalada... » | Pioneirismo e arrependimento » | Imortal tricolor » | Vox populi, vox Dei? » | À sombra da maldade » | Liberdade na internet ameaçada: divulguem! » | Definitivamente, não sou da paz » | Aviso aos navegantes »

Capitalistas passarão, comunistas passarinho



ROMA (AIF) - Desde um certo tempo chegou em Roma, na redação da Agenzia FIDES, cópia desta "Ordem secreta" do Ofício N° 106, enviado pelo Partido comunista chinês aos seus membros residentes no exterior. O "Congresso da China Patriótica" em Pequim, a traiçoeira perseguição organizada contra os católicos fiéis a Roma, mostram que a tática prescrita pelo Ofício N° 106 é seguida à risca na China continental.

"Ordem secreta de 12 de fevereiro de 1957, do Ofício N° 106 – O Catolicismo e o protestantismo são duas organizações a serviço da espionagem e do imperialismo capitalista. Tais organizações se esforçam em penetrar no seio do Partido para usufruir e oprimir o povo. Estas Igrejas, estabelecidas em todas as cidades do mundo, semeiam por toda parte o veneno de suas doutrinas para combater o socialismo comunista.

Eis porque, seguindo as diretrizes dos chefes do Partido, nossos camaradas devem encontrar meios de penetrar no próprio coração de cada igreja, pôr-se a serviço da nova organização de polícia secreta, desenvolver uma grande ação no seio de todas as obras eclesiásticas, desencadear um ataque de grande envergadura, empenhar-se a fundo, Invocando até o auxílio de Deus, e, para conseguir formar uma frente única, servir-se do encanto e do poder de sedução do sexo feminino. Em conseqüência, para atingir esse fim, para dividir as igrejas internamente e opor umas às outras as diversas organizações religiosas, o órgão do Partido baixou as nove disposições seguintes:

1) Os camaradas devem introduzir-se nas escolas estabelecidas por essas igrejas e contaminadas por suas doutrinas, devem eles espionar os reacionários para poder informar todos seus movimentos; devem misturar-se aos estudantes, fazer próprios os seus sentimentos, conseguindo, assim, conhecer as atividades regionais, vigiando-as e, pouco a pouco, inserir-se em todos os setores da atividade eclesiástica;

2) Cada camarada deve procurar tornar-se, pelo Batismo, membro da Igreja e assim, sob esta máscara enganadora, inscrever-se na Legião de Maria ou, se se trata de protestantes, entrar para fazer parte da organização dos “Cruzados”. Uma vez feito isto, todos deverão desenvolver uma atividade de grande envergadura, servindo-se de belas frases para emocionar e atrair os fiéis. Poderão fazer também melhor procurando dividir profundamente as diversas categorias de fiéis, inclusive fazendo apelo ao amor de Deus e defendendo a causa da paz. Assim atuando, eles destruirão a venenosa propaganda do imperialismo opressor;

3) Nossos camaradas deverão assistir a todos os serviços religiosos e, afavelmente, cortesmente, servindo-se com inteligência dos meios mais diversos, unir-se-ão ao Clero para espionar a sua atividade;

4) As escolas fundadas e dirigidas pelas Igrejas constituem um campo ideal para a nossa penetração. Aparentando a maior benevolência, os ativistas de nossa organização devem aplicar esta dupla lei: “cativar o inimigo para suprimir o inimigo”. Deverão tornar-se simpáticos para estreitar a amizade com os diretores, professores e estudantes para o fim de dominá-los, aplicando o princípio: “divide et impera”. Além disso, devem procurar estabelecer contatos com os chefes das famílias dos alunos, para reforçar o trabalho de base da revolução e desenvolver todas nossas atividades secretas;

5) Devem tomar iniciativas em todas as atividades, infiltrar todas as instituições da Igreja, ganhar a simpatia dos fiéis e, desse modo, poderão conseguir introduzir-se na direção da própria Igreja;

6) Atendo-se às normas do Partido, a célula poderá atingir a meta que lhe foi fixada, ou seja, penetrar em todas as organizações eclesiásticas, promover a ação pela paz, permitindo ao Partido exercitar a sua influência em todos os campos;

7) Os camaradas ativistas devem ter espírito de iniciativa, descobrir os pontos fracos da organização eclesiástica, explorar as divisões, neutralizar o veneno religioso e eclesiástico, lançando o nosso contraveneno, e fazer quanto seja possível para explicar as nossas linhas de combate;

8) Baseando-se nesse principio de ferro “Esmagar o inimigo servindo-se dele próprio”, cumpre procurar persuadir um ou outro membro eminente da Igreja de vir à China e facilitar-lhe as autorizações e documentos necessários. Para tal ação falsa e secreta nos ajudará a atingir nosso fim, dado que esse homem eminente nos revelará a verdadeira fisionomia e a verdadeira situação da Igreja."
AGENZIA INTERNAZIONALE FIDES (AIF) - 25 gennaio 1958 - N. 527

A notícia transcrita abaixo, de 2004, comprova a explícita continuidade da aplicação das normas divulgadas 46 anos antes:

A agência de notícias católica Asianews denunciou ontem, na Cidade do Vaticano, que as autoridades da República Popular da China iniciaram uma campanha para obrigar todos os bispos católicos a se submeterem ao Partido Comunista Chinês e não obedecer ao papa. A Asianews acrescentou que, embora as autoridades chinesas desmintam ter prendido o bispo de Xuanhua, dom Zhao Zhendong, de 84 anos, e garantirem que ele participou ‘‘voluntariamente’’ de um curso a respeito de política religiosa na China, ‘‘essas prisões voluntárias são de fato verdadeiros seqüestros de pessoas desarmados com a pretensão de pretender doutrinar e convencer a entrar na Associação Católica Patriótica’’, igreja cismática controlada pelo PC.

A agência missionária acrescentou que as autoridades chinesas propõem uma vida fora da clandestinidade, com tranqüilidade e ajuda econômica aos bispos e sacerdotes em comunhão com Roma, que não reconhecem a Associação Católica Patriótica. Em troca, pedem uma ‘‘submissão’’ ao governo comunista chinês.
Nos últimos meses, o Vaticano já protestou três vezes contra a detenção de bispos fiéis a Roma. A mais recente foi em 23 de junho, quando o porta-voz da Santa Sé, monsenhor Joaquín Navarro Valls, considerou ‘‘inconcebível’’ que um Estado de Direito transgrida direitos das pessoas, entre eles o da liberdade religiosa.

Navarro Valls disse que, desde 27 de maio, não havia notícias do bispo de Xuanhua. Ele denunciou também que o bispo de Xiwanzi ‘‘esteve sob custódia’’ de 2 a 12 deste mês, e que o de Zhengding, dom Jia Zhiguo, foi detido pelas autoridades chinesas durante cinco dias. Para restabelecer relações com o Vaticano, Pequim exige que a Santa Sé rompa relações diplomáticas com Taiwan e pare de ‘‘interferir’’ nos assuntos internos da China. Atualmente, existem na China entre oito e 10 milhões de católicos, divididos entre as duas igrejas (a Patriótica e a Romana).
(China quer submeter a Igreja Católica ao partido comunista)

Para notícia ainda mais atual sobre a terra prometida, leia "ONU denuncia tortura disseminada na China".

É, há quem acredite em Papai Noel, em Marx, duendes e em uma provável democracia chinesa em breve (sem afirmar quando, é bem verdade), esquecendo das milhares de execuções anuais, da falta de liberdade, do tamanho e da ideologia estatal, motivados pelas taxas de crescimento econômico, aumento do PIB, mão-de-obra baratíssima e abundante, mesmo que a renda per capita dos chineses seja irrisória, bem menor do que a do "país com maior desigualdade social do planeta". Enfim, todos devidamente iludidos pelo "capitalismo comunista" chinês, a união entre livre mercado e rígido marxismo.

Gradualmente, a China avança. Não mudou sua estrutura, seus alicerces, salvo a abertura ao capital internacional, "para capitalista ver", e assumiu o que estudiosos comprovam: é preciso altas doses de liberalismo econômico para prover o gigantesco Estado comunista, que, a partir disso, garante seu domínio e permanência ideologicamente, seja por desinformação, ou por repressão. Empresários e investidores são gananciosos e imediatistas, querem lucro, números e resultados para ontem, o que não é um problema em si, vindo a ser quando ignoram
a máxima de Lenin: "a burguesia tece a corda com a qual será enforcada". Enquanto isso, os comunistas estão lá, maquiavelicamente organizados, sem perder de vista princípios de mais de meio século, como os citados combates à religião, para submeter qualquer força individual de resistência, e sem descuidar da prática de teorias leninistas através de ilusionismo, de mostrar o que a platéia quer ver, a fim de atrair bons olhos, investimentos, ganhando tempo até fortalecer-se para, muito provavelmente, atacar.

É por essas e outras que quase estou convencida de que tanto esforço em qualificar toda e qualquer nação como democrática ou prestes a tornar-se uma, venha do fato de estarem dando um novo sentido ao prefixo demo dessa tão almejada forma de governo.

noite_interminavel
Nós nos transformamos naquilo que praticamos com freqüência. A perfeição, portanto, não é um ato isolado, é um hábito. (Aristóteles)


Na medida em que você se desliga do espírito daquela era, está ligado ao espírito de todas as eras. Isto quer dizer que, de fato, na constituição do próprio indivíduo, já está dada toda a dialética entre o mundo do sensível ou da temporalidade e o mundo da eternidade. (Olavo de Carvalho)


Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo. (Hermann Hesse)


Quanto menos um sujeito entende a religião, mais se prontifica a modificá-la, isto é, a reduzi-la às dimensões da sua própria falta de consciência. Uma concepção evolutiva da religião mostra apenas incapacidade de conceber alguma coisa acima da esfera temporal. O "senso da eternidade" é apenas o primeiro grau da consciência religiosa. (Olavo de Carvalho)


Quando os homens já não acreditam em Deus, não é que não acreditem em mais nada: acreditam em tudo. (G. K. Chesterton)


Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada. (Edmund Burke)


Experiência não é o que acontece com o homem; é o que o homem faz com o que lhe acontece. (Aldous Huxley)


Pode-se enganar todo mundo durante algum tempo, e certas pessoas durante todo o tempo, mas não se pode enganar todo o mundo todo o tempo. (Abraham Lincoln)


Faça aparecer o que sem você não seria talvez jamais visto. (Robert Bresson)


Educação é o que resta depois de ter esquecido tudo que se aprendeu na escola. (Albert Einstein)


Todos estamos na sarjeta, mas alguns de nós estão olhando as estrelas. (Oscar Wilde)


Qualquer pessoa que não seja inteiramente imbecil ou imbecilizada pelo jogo literário de entes de razão sabe que existe, no mundo inteiro, uma guerra revolucionária com o objetivo de massificar o homem e de apagar nas almas os últimos lampejos das saudades de Deus. Os marxistas desempenham papel de desta­que, e os judeus marxistas ou filocomunistas trazem para esta causa todo o furor que lhes vem da antiga grandeza. (Gustavo Corção)