« Home | Pioneirismo e arrependimento » | Imortal tricolor » | Vox populi, vox Dei? » | À sombra da maldade » | Liberdade na internet ameaçada: divulguem! » | Definitivamente, não sou da paz » | Aviso aos navegantes » | Propagandas enganosas » | Para refletir » | Atentado à liberdade de expressão »

A nova secretária de segurança e algumas bengaladas


Em um bairro pobre de Porto Alegre, uma mulher havia testemunhado uma tentativa de abuso sexual de um depravado sobre uma menininha. Apavorada, avisou a mãe da criança, que não tomou providência alguma. Então, a cidadã decidiu pedir à criatura que abandone a região, senão ela iria denunciá-lo à polícia. Sem o menor abalo pela ameaça, o monstro passou a chantageá-la, exigindo a quantia de R$ 150.000 para deixar de lado suas perversões e ir embora. Ela, então, pagou um terço disso, na esperança de convencê-lo. O crápula não aceitou, continuou ameaçando a menina e a ela e pedindo dinheiro. Sabe o que a mulher fez? Pegou uma faca e operou o abdômen de mais uma pobre vítima da desigualdade social e conseqüente falta de oportunidades brasileira. Para mim, não restam dúvidas: surgiu a nova secretária de segurança do Estado.

Já em Brasília, um escritor infanto-juvenil de 67 anos, Yves Hublet, famoso pela trilogia “Planeta Água”, “Artes e Manhas do Mico-Leão” e “A Grande Guerra de Dona Baleia”, realizou o sonho de muitos brasileiros, entre os quais me incluo: agredir, nem que seja a bengaladas, o boneco de Olinda (impassível e cabeçudo) que atende pelo nome de Joseph Dirceu, como também Daniel, Lalá, Lelé, Lili e sei lá mais o quê. Estou de alma lavada. Bem, ao menos por um dia.

noite_interminavel
Nós nos transformamos naquilo que praticamos com freqüência. A perfeição, portanto, não é um ato isolado, é um hábito. (Aristóteles)


Na medida em que você se desliga do espírito daquela era, está ligado ao espírito de todas as eras. Isto quer dizer que, de fato, na constituição do próprio indivíduo, já está dada toda a dialética entre o mundo do sensível ou da temporalidade e o mundo da eternidade. (Olavo de Carvalho)


Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo. (Hermann Hesse)


Quanto menos um sujeito entende a religião, mais se prontifica a modificá-la, isto é, a reduzi-la às dimensões da sua própria falta de consciência. Uma concepção evolutiva da religião mostra apenas incapacidade de conceber alguma coisa acima da esfera temporal. O "senso da eternidade" é apenas o primeiro grau da consciência religiosa. (Olavo de Carvalho)


Quando os homens já não acreditam em Deus, não é que não acreditem em mais nada: acreditam em tudo. (G. K. Chesterton)


Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada. (Edmund Burke)


Experiência não é o que acontece com o homem; é o que o homem faz com o que lhe acontece. (Aldous Huxley)


Pode-se enganar todo mundo durante algum tempo, e certas pessoas durante todo o tempo, mas não se pode enganar todo o mundo todo o tempo. (Abraham Lincoln)


Faça aparecer o que sem você não seria talvez jamais visto. (Robert Bresson)


Educação é o que resta depois de ter esquecido tudo que se aprendeu na escola. (Albert Einstein)


Todos estamos na sarjeta, mas alguns de nós estão olhando as estrelas. (Oscar Wilde)


Qualquer pessoa que não seja inteiramente imbecil ou imbecilizada pelo jogo literário de entes de razão sabe que existe, no mundo inteiro, uma guerra revolucionária com o objetivo de massificar o homem e de apagar nas almas os últimos lampejos das saudades de Deus. Os marxistas desempenham papel de desta­que, e os judeus marxistas ou filocomunistas trazem para esta causa todo o furor que lhes vem da antiga grandeza. (Gustavo Corção)