« Home | A elite, o povo e os inocentes criminosos » | Notas » | Em revista » | Indispensável » | O cartão de visitas » | Alguém viu? » | Platão explica » | Vítima da elite » | Seria trágico, se não fosse hilário » | Teoria interessantíssima e vivas ao Casseta e Plan... »

Mudei de idéia

Antes, eu tinha certeza de que iria votar NÃO, e ninguém conseguiria convencer-me do contrário. Mas, com o passar do tempo, entrei nas comunidades do SIM e do NÃO no Orkut, ouvi propagandas no rádio e na TV, e os argumentos do SIM convenceram-me: vou votar SIM. E sabe por quê? Vou listar 20 motivos:

  1. Descobri que é a arma legal que alimenta os bandidos. Todas aquelas AR-15, AK-47, granadas e bazucas que os traficantes do Rio usam, foram roubadas de cidadãos honestos que compraram as armas legalmente. Da minha casa mesmo, por exemplo, roubaram quatro mísseis stinger ano passado;
  2. Todos os pais que têm armas de fogo costumam deixá-las carregadas e engatilhadas em cima do sofá da sala. Por isso, 94 milhões de crianças brasileiras morrem, brincando com armas de fogo, todos os anos;
  3. Quem mora em fazendas, isolado de todos, no meio do mato, não precisa de armas. No meio da natureza, rola uma vibe muito forte, as energias positivas das árvores e das flores protegem a todos;
  4. Os 250 milhões de reais investidos para realizar o referendo foram muito bem empregados. Afinal, por que investir em segurança, quando se pode gastar em um referendo? E dizendo SIM, eles, nossos governantes, vão ver o quanto adoramos ter o privilégio de exercer nosso direito de decidir os rumos do nosso país;
  5. Se o NÃO ganhar, as armas de fogo vão, imediatamente, ficar 90% mais baratas, e vai acabar a burocracia para a compra de uma. No dia seguinte à vitória do NÃO, qualquer pessoa (bandido ou cidadão de bem) vai poder ir a uma loja de armas, comprar um 44 e oito caixas de munição, sair armado e direto para o bar mais próximo para arrumar briga e matar;
  6. Percebi que delegados e policiais civis militares e federais - que são, em quase totalidade, favoráveis ao NÃO - não entendem absolutamente nada de violência e criminalidade. Quem manja mesmo do assunto são atores, sociólogos e dirigentes de ONGs internacionais;
  7. Todos os assaltantes de residência têm superpoderes. Eles atravessam portas e paredes e se materializam imediatamente na sua frente, apontando uma arma para a sua cabeça, enquanto você ainda está deitado, tornando impossível qualquer reação. Eles não perdem tempo e não fazem barulho arrombando portas;
  8. Caso eu veja ou ouça algum bandido pulando a cerca e entrando no meu quintal, eu não vou conseguir afugentá-lo com um tiro para cima ou para o chão. Se ele ouvir o tiro, aí sim, é que ele vai ficar excitado e vai querer, de toda forma, entrar em casa e trocar tiros comigo. Afinal, eles adoram fazer isso;
  9. Estrangeiros que lideram ONGs como a Viva-Rio têm muita experiência no assunto, já que todos sabem que a situação social, econômica e de criminalidade da França, Inglaterra e Estados Unidos é igualzinha à realidade do Brasil. Não tenho a menor dúvida de que todas as teorias deles vão funcionar direitinho aqui;
  10. O governo quer que votemos SIM, e ele sempre pensa no nosso bem. Afinal, todos sabemos que a qualidade da saúde pública, ensino público, segurança pública e etc. vem melhorando cada vez mais;
  11. Eu me convenci de que os cidadãos de bem, assim que acabarem suas munições, vão manter suas armas eternamente sem munição, até se deteriorarem, ninguém vai buscar bala no mercado negro (até porque a violência vai diminuir um bocado), e, assim, não corre o risco do mercado negro fortalecer-se;
  12. Caso o SIM vença, não vão mais acontecer mortes banais. Maridos ciumentos só vão agredir as mulheres com travesseiros, torcidas organizadas vão se dar as mãos, facas e canivetes vão perder o fio, tijolos e paus vão ficar macios, e os pitboys vão todos se converter ao budismo;
  13. Essa história dos crimes por armas de fogo ter aumentado 500% na Inglaterra nos seis anos após o desarmamento por lá foi algo super normal, pois a população está se expandindo, não? É mais do que natural que haja um aumento;
  14. Descobri que o jovem é a principal vítima da arma de fogo. Claro que isso não tem nada a ver com o fato de o jovem ser o maior usuário de drogas, nem o fato de que quase 100% dos envolvidos no tráfico de drogas têm menos de 30 anos (porque morrem ou são presos antes). Isso é pura coincidência;
  15. No Texas - onde há quase uma arma por habitante -, reduziu para quase a metade o índice de crimes violentos nos últimos dez anos. Mas isso é porque, na última década, eles pararam de comer carne vermelha e começaram a ouvir mais Bob Marley;
  16. Percebi que todos que têm arma de fogo são suicidas em potencial, pois a única causa do suicídio é a arma de fogo, e não a falta de perspectivas, de um ideal, de um sonho a buscar, dificuldades espirituais, de consciência ou, então, distúrbios psíquicos, como a depressão;
  17. Se algum bandido invadir minha casa, basta-me ligar para o 190. A polícia sempre tem homens e viaturas sobrando e levará menos de 3 minutos para atender-me;
  18. Caso isso não aconteça, basta-me fazer o sinal do "Sou da paz" com as mãos, o invasor vai saber que eu sou gente fina e, então, ele vai embora em paz, sem levar nada e sem violência alguma. Eles sempre agem assim quando descobrem que você é da paz, e não um daqueles psicopatas malvados que é a favor do NÃO;
  19. Se o ladrão for muito, mas muito malvadão, eu só preciso gritar por socorro. Em cinco segundos, vão aparecer a Fernanda Montenegro, a Maitê Proença e o Felipe Dylon para salvar-me e prender o bandido, sem usar armas.
  20. Se o SIM ganhar, o Brasil vai ser um país mais feliz, que nem na novela.
Texto de autoria desconhecida recebido por e-mail. Tudo o que eu queria dizer sobre a palhaçada desarmamentista promovida por miquinhos adestrados, sob o comando de um (des)governo que não poupa munição e iniciativa ao exterminar desafetos. Nada tenho a acrescentar e, portanto, assino logo abaixo.

noite_interminavel
Nós nos transformamos naquilo que praticamos com freqüência. A perfeição, portanto, não é um ato isolado, é um hábito. (Aristóteles)


Na medida em que você se desliga do espírito daquela era, está ligado ao espírito de todas as eras. Isto quer dizer que, de fato, na constituição do próprio indivíduo, já está dada toda a dialética entre o mundo do sensível ou da temporalidade e o mundo da eternidade. (Olavo de Carvalho)


Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo. (Hermann Hesse)


Quanto menos um sujeito entende a religião, mais se prontifica a modificá-la, isto é, a reduzi-la às dimensões da sua própria falta de consciência. Uma concepção evolutiva da religião mostra apenas incapacidade de conceber alguma coisa acima da esfera temporal. O "senso da eternidade" é apenas o primeiro grau da consciência religiosa. (Olavo de Carvalho)


Quando os homens já não acreditam em Deus, não é que não acreditem em mais nada: acreditam em tudo. (G. K. Chesterton)


Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada. (Edmund Burke)


Experiência não é o que acontece com o homem; é o que o homem faz com o que lhe acontece. (Aldous Huxley)


Pode-se enganar todo mundo durante algum tempo, e certas pessoas durante todo o tempo, mas não se pode enganar todo o mundo todo o tempo. (Abraham Lincoln)


Faça aparecer o que sem você não seria talvez jamais visto. (Robert Bresson)


Educação é o que resta depois de ter esquecido tudo que se aprendeu na escola. (Albert Einstein)


Todos estamos na sarjeta, mas alguns de nós estão olhando as estrelas. (Oscar Wilde)


Qualquer pessoa que não seja inteiramente imbecil ou imbecilizada pelo jogo literário de entes de razão sabe que existe, no mundo inteiro, uma guerra revolucionária com o objetivo de massificar o homem e de apagar nas almas os últimos lampejos das saudades de Deus. Os marxistas desempenham papel de desta­que, e os judeus marxistas ou filocomunistas trazem para esta causa todo o furor que lhes vem da antiga grandeza. (Gustavo Corção)